Esportes

Após confusão e morte, Promotoria vai pedir interdição de São Januário

Da Redação ·

SÉRGIO RANGEL

continua após publicidade

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O promotor Rodrigo Terra vai pedir nesta segunda (10) a interdição de São Januário.

Neste sábado (8), um torcedor do Vasco morreu e outros três foram internados por causa do quebra-quebra em São Januário após o final do clássico contra o Flamengo.

continua após publicidade

Torcedores tentaram invadir o gramado e lançaram rojões nos jogadores adversários, que foram obrigados a esperar cerca de 20 minutos no meio do campo antes de entrar no vestiário.

Terra disse que o pedido de interdição vai se basear na recusa dos dirigentes do Vasco de apresentarem um "plano de ação para os jogos" requisitado pelo Ministério Público desde o início do ano.

Em fevereiro, o promotor obteve na Justiça em fevereiro uma liminar que obrigava a adoção de torcida única nos clássicos cariocas.

continua após publicidade

Na ocasião, um torcedor do Botafogo foi morto por um golpe de espeto de churrasco por um flamenguista nos arredores do Engenhão pouco antes da partida dos dois clubes, pelo Estadual.

A medida foi derrubada dias depois na Justiça e não foi colocada em prática no Rio.

STJD

continua após publicidade

O procurador-geral do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Felipe Bevilacqua, também vai apresentar nesta segunda (10) o pedido de interdição do estádio de São Januário.

O clube carioca corre o risco de perder o mando de campo por até 10 jogos no tapetão, caso a denúncia seja aceita.

Nesta quinta (13), o Vasco poderá perder o mando de campo em outro caso pelo STJD. O clube será julgado pela briga dos seus torcedores na partida contra o Corinthians, em São Januário. Na primeira instância, o Vasco foi absolvido no mês passado.