Cotidiano

Após 5 meses menino desaparecido do Acre volta para casa

.

Bruno estava desaparecido havia 5 meses. (Foto: Reprodução)
Bruno estava desaparecido havia 5 meses. (Foto: Reprodução)

O jovem estudante Bruno Borges, mais popularmente conhecido como o 'menino do Acre', voltou pra sua casa na capital do estado após cinco meses desaparecido. O caso do rapaz tomou proporções nacionais quando ele simplesmente sumiu de casa deixando para trás apenas uma série de livros e um quarto pra lá de 'interessante'.

O rapaz retornou para sua casa hoje (11), pela manhã e segundo sua família, ele passa bem e não aparenta nenhum tipo de violência. O pai de Bruno, Athos Borges, declarou que seu filho ainda não está pronto para dar entrevistas e que provavelmente ele não irá ficar na casa onde morava, devido ao fato de ter muitos curiosos e também repórteres nos arredores da residência.

Em entrevista ao jornal Extra, Denise Borges, mãe de Bruno relatou que conversou com o jovem. “Ele já falou comigo por telefone, mas não parava de chorar. Ele me pediu perdão, disse que sentiu essa vibração e por isso voltou”, afirmou.

LIVROS

Lançado recentemente o livro “TAC – Teoria da Absorção do Conhecimento” entrou na lista dos mais vendidos do país de acordo com o site PublishNews. A obra promete ensinar uma metodologia capaz de potencializar a absorção e a criação de novos conhecimentos. Além de disponibilizar uma prévia do conteúdo dos manuscritos produzidos pelo menino do Acre, o site oficial do projeto dá alguns detalhes gerais sobre o produto. 

Segundo a página, “Bruno Borges revela através de intensa pesquisa uma metodologia capaz de potencializar a absorção e a criação de novos conhecimentos”. 

RELEMBRE O CASO

Bruno desapareceu no dia 27 de março deste ano, deixando cerca de 14 livros, escritas codificadas e imagens em seu quarto. O mistério repercutiu nas redes sociais depois que um vídeo – gravado sem autorização da família – viralizou. O sumiço do jovem foi investigado pela Polícia Civil do Acre. O coordenador da Delegacia de Investigação Criminal (DIC), delegado Fabrizzio Sobreira, afirmou que todas as possibilidades foram consideradas, mas até hoje o rapaz não foi encontrado.

No quarto, os escritos são feitos de forma impecável, com precisão e simetria, como em uma página de caderno. Várias simbologias foram desenhadas no cômodo e também ao redor da estátua. Um quadro na parede em que Bruno aparece sendo tocado por um extraterrestre também mostra o interesse do jovem pelos mais diversos assuntos.