Cotidiano

Pesquisa científica conclui que dizer palavrões é sinal de honestidade

.

Pesquisa apurou que pessoas que praguejam mais são também mais honestas - Ilustração: Palavras & Retalhos
Pesquisa apurou que pessoas que praguejam mais são também mais honestas - Ilustração: Palavras & Retalhos

Resultado de uma nova pesquisa científica concluída recentemente aponta: as pessoas que praguejam mais são também mais honestas. Essa seria uma possível explicação para a linguagem utilizada por Donald Trump durante a campanha eleitoral de 2016 nos EUA ter sido associada a autenticidade. 

A conclusão do novo estudo, publicado no Journal of Social Psychological and Personality Science, revelaram que os participantes que utilizavam uma linguagem mais grosseira e diziam mais palavões eram considerados mais sinceros do que aqueles que não tinham esse tipo de discurso.

David Stillwell, cientista da Universidade de Cambridge e um dos autores do estudo, relatou ao Daily Mail que existem duas formas de olhar para a mesma situação. Por um lado, há quem pense que dizer palavrões é sinal de um comportamento social negativo – considerando, portanto, quem fala desta forma como pessoas más.

Entretanto, há uma outra perspectiva que é apoiada pelo estudo. Conforme esta perspectiva, quem fala desta forma não está a utilizar filtros nenhuns às suas emoções. As palavras escolhidas refletem, portanto, de uma forma mais verdadeira, as emoções, o que torna o discurso mais original.

pesquisa de comportamento, que resultou na publicação intitulada "Frankly, I don't give a damn: the relationship between profanity and honesty", teve três fases de experiências. Na primeira, os autores do estudo questionaram 276 pessoas sobre o porquê de falarem com calão. A maioria delas respondeu que a sua intenção se prendia com a tentativa de serem o mais honestos possível, retrando-se a si próprios mais fielmente.

Na segunda fase de experiências, as conclusões a que chegaram os pesquisadores foram muito semelhantes. Desta vez, foram analisados cerca de 74 mil pessoas na rede social Facebook. Os cientistas compararam a frequência de frases que continham palavrões e frases com histórias que, subentendia-se, eram verdade. 

Realidade mascarada
Curiosamente, perceberam que as pessoas que tinham um discurso mais limpo, queriam ter uma imagem também mais limpa nas redes sociais, mesmo que, para isso, fosse necessário mascarar a realidade.

Palavrões positivos
Nessas duas experiências foi constatado que o uso de palavrões estava associado, de forma positiva, com a honestidade. Por essa razão, os pesquisadores decidiram realizara uma terceira e última experiência, para apurar se isto também aconteceria a nível da sociedade e foi constatado que sim.


Com informações do Daily Mail