Cotidiano

Itália fica comovida com enterro de mulher que se matou após vídeo de sexo ser postado na web

.

O suicídio de uma mulher de 31 anos vítima de bullying nas redes sociais durante um ano e meio deixou a Itália chocada - Foto:  Reprodução
O suicídio de uma mulher de 31 anos vítima de bullying nas redes sociais durante um ano e meio deixou a Itália chocada - Foto: Reprodução

O sepultamento de Tiziana Cantone, de 31 anos, que foi transmitido ao vivo pela TV italiana, causou grande comoção no país europeu. Ela colocou fim à própria vida após lutar na Justiça durante meses para que um vídeo em que ela aparece fazendo sexo fosse removido da internet.   

A polícia italiana deteve quatro homens como parte da investigação sobre o suicídio da italiana. Segundo investigadores, o pesadelo começou quando Tiziana Cantone enviou um vídeo a um antigo namorado para lhe provocar ciúmes. Ela também enviou as imagens para outros três outros homens, que postaram a gravação das imagens nas redes sociais. Mais de um milhão de pessoas assistiram às cenas de sexo e Tiziana ficou na mira de zombeteiros online. 

Ela se suicidou na casa de uma tia em Mugnano, cidade do sul da Itália próxima a Nápoles. Promotores abriram uma investigação e os quatro homens poderão responder a processo por difamação - crime que pode ser punido com até três anos de prisão na Itália.

VÍDEO VIRALIZOU
O vídeo viralizou e Tiziana acabou obrigada a sair de seu emprego e se mudou para a região da Toscana.  As frases "Está filmando? Bravo", que ela falou no vídeo, viraram chacotae foram até impressas em camisetas e canecas. 

Tiziana tinha conseguido na justiça a retirada do vídeo de diversos sites, ferramentas de busca e mídias sociais. Mas a decisão do juiz também incluiu uma determinação para que a mulher pagasse 20 mil euros em custos processuais - algo que a mídia italiana classificou de "insulto final".

JUSTIÇA
A família dela pediu que as autoridades façam justiça. "Queremos que o judiciário aja para que a morte dela não seja em vão", disseram parentes à mídia italiana. Antonello Sordo, presidente da autoridade italiana de proteção de dados, afirma que não se deve “condenar a internet pela violência mas deveríamos poder culpar quem usa a internet de forma violenta.”

O sepultamento de Tiziana foi transmitido ao vivo pela TV italiana (Foto: Reprodução)


Com informações do euronews.com