Política

Presidente do PSDB diz que fatos 'valem mais que carta'

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Um dia depois do agora ex-governador João Doria (PSDB) dizer que houve um planejamento prévio para que o presidente do partido, Bruno Araújo, tivesse de se manifestar publicamente em apoio a seu nome para a disputa ao Planalto, o dirigente partidário minimizou, nesta sexta-feira, 1º, a carta divulgada por ele ontem.

continua após publicidade

"Em política tem algo que vale mais do que papel e carta, que são os fatos e acontecimentos", disse Araújo aos jornalistas na saída do evento de filiação do deputado Rodrigo Maia (RJ) ao PSDB em São Paulo. Ainda segundo o presidente do PSDB, a candidatura do partido está contida em um "projeto maior" e Eduardo Leite, ex-governador do Rio Grande do Sul, teve um comportamento "extremamente decente".

Doria venceu Leite nas prévias presidenciais no ano passado, mas o gaúcho continua se movimentando para ser o presidenciável tucano.

continua após publicidade

Na quinta-feira, 31, após simular que permaneceria como governador, Doria falou em "estratégia política". Hoje, minimizou. "Não é estratégia, é objetivo. O objetivo do PSDB é servir o Brasil (...) O PSDB é uma família, e em uma família você não tem unidade todos os dias. Nem por isso deixa de compor um lar", afirmou.

Federação

No evento, que não contou com a presença do governador Rodrigo Garcia (PSDB), Doria defendeu o nome do presidente do PSDB para assumir o comando da federação que vai surgir da união com o Cidadania. "Bruno tem o meu apoio e o apoio de todos para ser o presidente da federação. Não há nenhuma contestação. Não há nenhum clima de hostilidade. Há um clima de entendimento. Isso é parte do processo democrático", disse.

continua após publicidade

Araújo afirmou que a executiva da federação terá 19 membros - 14 do PSDB e 5 do Cidadania. O PSDB vai presidir a federação. Vão participar os líderes da Câmara e Senado, das maiores bancadas, Minas Gerais e São Paulo, quatro mulheres de regiões diferentes e um representante de cada região importante para o partido.

Na semana que vem Araújo, Baleia Rossi (MDB) e Luciano Bivar (UB) vão se reunir em Brasília para discutir os passos seguintes e definir critérios para afunilar a terceira via.