Esportes

Valdivia, ex-Palmeiras, confirma encerramento da carreira como jogador de futebol

(via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Jorge Valdivia está oficialmente aposentado dos gramados. O ex-jogador do Palmeiras confirmou a decisão nesta sexta-feira em entrevista à rádio ADN, do Chile. Valdivia ganhou idolatria no clube alviverde e também realizou o sonho de ser campeão com a seleção chilena.

continua após publicidade

Aos 38 anos, Valdivia esteve em campo pela última vez no dia 5 de fevereiro, defendendo as cores do Necaxa no Torneio Clausura do Campeonato Mexicano. Foram apenas quatro partidas pela equipe. Antes de retornar ao futebol mexicano, já havia feito participações como comentarista esportivo, ofício ao qual quer se dedicar mais a partir de agora.

"Cansei. Foi o suficiente e há algum tempo venho analisando e decidido a deixar de jogar futebol. Já tinha conversado sobre isso com pessoas mais próximas, com a minha família. Foram muitos anos. Muito sacrifício. Eu ainda sou jovem e quero fazer outras coisas", declarou à emissora.

continua após publicidade

O chileno também tem em mente começar uma carreira como treinador de futebol. Para isso, não abandonará os cursos que tem feito para se aperfeiçoar na função.

Valdivia começou profissionalmente no futebol atuando pela Universidad Concepción, do Chile. De lá, partiu para a Europa, onde teve passagens fugazes por Rayo Vallecano, da Espanha, e Servette, da Suíça. Retornou ao Chile para atuar no Colo-Colo, voltando a ganhar destaque no mercado sul-americano.

Tratado como grande promessa, com 23 anos, em 2006, chegou ao Palmeiras. No começo, não teve muito espaço, mas aos poucos foi ganhando oportunidade e passou ao posto de estrela do time em 2007. Foi campeão paulista, em 2008, e em seguida negociado com o Al-Ain, dos Emirados Árabes Unidos.

continua após publicidade

Retornou ao Palmeiras em 2010, como uma contratação de peso para melhorar o humor do torcedor, fragilizado com a recente perda do Brasileirão. Ficou no clube alviverde até 2015, passando por altos e baixos. Foi rebaixado em 2012, mesmo ano em que foi campeão da Copa do Brasil. Faturou a Série B no ano seguinte e foi um dos responsáveis por ajudar o clube a não sofrer com nova queda no ano do centenário.

Em 2015, com o processo de reformulação do clube, sob a liderança de Alexandre Mattos - que se tornou um desafeto do chileno -, não teve seu contrato renovado após o Estadual. Desde então, voltou aos Emirados, para jogar no Al-Wahda, e mais tarde ao Colo-Colo. Nos últimos anos, acumulou passagens por Monarcas Morelia, Mazatlán e Unión La Calera. Na seleção chilena, disputou as Copas do Mundo de 2010 e 2014 e levou o país a seu primeiro título da Copa América, em 2015.