Economia

AIE: guerra levará mercado de petróleo a déficit, a menos que Opep+ amplie oferta

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

A invasão da Ucrânia pela Rússia e as consequentes sanções impostas ao petróleo russo vão pesar na economia global e levar o mercado da commodity a uma situação de déficit, a menos que grandes produtores ampliem sua oferta, segundo avaliação da Agência Internacional de Energia (AIE).

continua após publicidade

Em relatório mensal publicado nesta quarta-feira, a AIE diz que os mercados de energia estão diante da maior crise de oferta em décadas, que poderá resultar em mudanças duradouras.

A AIE estima que a guerra no Leste Europeu poderá fazer com que 3 milhões de barris por dia (bpd) de petróleo da Rússia deixem os mercados globais a partir de abril. A agência cortou sua previsão para a oferta global em 2022 em 2 milhões de bpd, a 99,5 milhões de bpd, com base no que a Opep+ - formada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados - concordou em produzir. Pelos cálculos da AIE, a oferta da Opep+ está 1,1 milhão de bpd abaixo de sua meta.

continua após publicidade

De acordo com a AIE, países que integram o grupo estão prontos para liberar mais petróleo de suas reservas, se necessário, e a crise de energia provocada pelo conflito russo-ucraniano deverá acelerar a transição energética para fontes renováveis.

Ainda no relatório, a AIE também reduziu sua previsão de aumento na demanda global por petróleo este ano, de 3,2 milhões de bpd para 2,1 milhões de bpd.

A AIE informou também que os estoques de petróleo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sofreram redução de 22,1 milhões de barris em janeiro, a 2,62 bilhões de barris, atingindo o menor nível em quase oito anos. Dados preliminares sugerem que houve nova queda em fevereiro, de 29,8 milhões de barris. Fonte: Dow Jones Newswires.