Cotidiano

Padeiro é morto a facadas pelo chefe após chegar atrasado no trabalho

Segundo testemunhas, o dono do estabelecimento se desentendeu com o funcionário por ele ter chegado atrasado no trabalho, em João Câmara (RN)

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
O homicídio foi registrado nesta segunda-feira
fonte: g1
O homicídio foi registrado nesta segunda-feira

A Polícia Militar (PM) registrou um crime brutal nesta segunda-feira (27), em João Câmara, Rio Grande do Norte. O funcionário de uma padaria foi morto a facadas pelo próprio patrão após chegar atrasado no trabalhado. 

continua após publicidade

Conforme as autoridades, os dois tiveram um desentendimento antes do crime acontecer. O padeiro, identificado como Francisco Rogério Dantas, de 45 anos, sofreu duas facadas e morreu no local. 

A PM foi chamada e, assim que chegou no local, já encontrou Francisco sem vida. O responsável pelo crime, que é dono do estabelecimento, fugiu. 

continua após publicidade

O local do crime foi isolado pela Polícia Militar e o crime será investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa Polícia Civil (DHPP).

Caso semelhante

Um homem foi morto por seu chefe durante o expediente em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, no dia 6 de junho. A motivação do crime teria sido um desentendimento por conta do horário estipulado para o intervalo do café, segundo a Polícia Civil. 

continua após publicidade

Identificada como Marcelo Camilo, 36 anos, a vítima chegou ao Hospital da Unimed de São Leopoldo com um ferimento no coração causado por duas perfurações de objeto cortante e sofreu três paradas cardíacas antes de morrer.

O suspeito do crime é considerado foragido pela polícia e teria fugido do local caminhando. O homem, que não teve sua identidade revelada, tinha no histórico policial um registro de ocorrência por ameaça.

Imagens da câmera de segurança da empresa flagraram a vítima saindo de uma sala com a mão no peito e cambaleando. Ele passou por um setor em que outros funcionários estavam trabalhando e saiu outra porta.

Em seguida, o homem que, segundo a polícia, é o suspeito do crime foi atrás da vítima, mas não pareceu prestar socorro. A cena ainda chama a atenção de outros colegas que estavam no local.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News